24 de maio de 2016

Últimas leituras – Madoxx, jornada no Inferno e suspense incrível

Minha cabeça tá tão esquisita nesse começo de ano (~começo~) que simplesmente não tô me prendendo em livro nenhum. Manter a meta de pelo menos um livro por mês foi difícil, mas a duras penas consegui. Mérito apenas dos títulos que conseguiram prender minha atenção já nas primeiras páginas.

Não sei se é mercúrio retrógrado ou a crise dos trinta, mas ultimamente vivo um momento em que não consigo me conectar com os personagens e isso, na lógica maluca da minha cabeça, tem me feito simplesmente abandonar livros pela metade.

E agora, a partir desse mês de Maio comecei a cursar Letras (!!!!!!!!) e todo o meu tempo tem sido pra ler coisas das disciplinas. Falarei desse reviravolta na minha pacata vida de ser humano de exatas em outro post. Perdão pelo vacilo na demora, mas seguem os títulos.

Janeiro: Bela Redenção – Jamie Macguire

Ai os Madoxx. O que dizer desses irmãos que mexem com o coração da gente?

A série Belo "qualquer coisa" da Jamie Macguire, que começou com o Belo Desastre, entra na minha lista, junto com a série "qualquer coisa" Irresistível da Christina Lauren, como meu alívio mental.

História bobinha, com personagens mais ou menos rasos, final previsível, mas que dá aquele gostosinho no coração sabe?  

Bela Redenção conta a história do Thomas Madoxx que é um agente da CIA e sua relação com uma colega de trabalho que é convocada para uma missão junto com ele em que eles têm que fingir que são um casal. Tem coisa mais clichê? Adoro.

O gostoso dos livros dessa série é que os personagens dos outros livros aparecem e você tem aquela sensação de familiaridade com tudo. Foi uma leitura gostosa pra começar o ano.



Fevereiro: Quarto – Emma Donoghue

Já falei desse livro aqui


Março: Condenada - Chuck Palahniuk


Chuck vive na minha estante de autores preferidos desde que li Clube da Luta, mas não tinha lido nada dele, além disso. Daí caçando histórias que me interessassem no auge da minha crise literária, encontrei essa resenha no Leitor Cabuloso que me fez olhar com carinho pra esse livro.  

O livro conta a história de Maddy, uma garota de treze anos que morre e vai pro inferno. Lá, Maddy não só se sente em casa, como também passa a percorrer o objetivo de conversar com Satã pessoalmente. Para isso parte numa jornada pelo inferno junto com uma galera meio estranha. No meio disso que parece triste e depressivo, temos uma história extremamente engraçada, cheio de piadas que interagem com o próprio leitor e algumas lições que são colocadas nas entrelinhas pelo Palahniuk, assim como em Clube da Luta. Pra vocês terem uma ideia um dos serviços de Maddy no inferno é trabalhar numa espécie de telemarketing que tinha como objetivo ligar para as pessoas vivas justamente na hora do jantar para atrapalhar com pesquisas de opinião inúteis. Esse é o clima do livro.

A resenha da Soraya no Leitor Cabuloso tá maravilhosa. Entra lá e deixe-se influenciar como eu porque vale a pena. O livro tem uma continuação: Maldita. Mas ainda não li. (Tá na lista. Risos.)



Abril: Lugares Escuros – Gillian Flynn


Já falei da Gillian Flynn várias vezes aqui nesse blog porque simplesmente adoro tudo que essa mulher escreve. É o terceiro livro dela que eu leio depois de Garota Exemplar e Objetos Cortantes. Mais uma vez a Flynn consegue criar personagens que mostram o pior do ser humano, e mais uma vez ela consegue fazer a gente se identificar e se relacionar com cada uma dessas pessoas que na vida real a gente desprezaria.

Lugares escuros conta a história de Libby Day. A filha caçula de quatro irmãos, única sobrevivente de uma chacina que matou sua mãe e suas irmãs. E o pior: a pessoa que está presa por cometer os assassinatos é seu próprio irmão mais velho, aparentemente relacionado com culto satânico. E a principal testemunha, que colocou o irmão na cadeia, foi a própria Libby que, aos sete anos na época, afirmou ter visto o irmão praticar os crimes.


Entretanto, Libby não é uma pessoa maravilhosa. Mesquinha, mentirosa e interesseira, Libby viveu a vida de ajuda dos outros, se aproveitando da pena das pessoas por sua condição de sobrevivente de um massacre. Mas o dinheiro dos fundos de ajuda acaba e, para conseguir se manter, Libby passa a receber dinheiro de um grupo de pessoas que gostam de estudar crimes marcantes e mal resolvidos. Esse grupo acredita na inocência do irmão de Libby e financia uma jornada de Libby na redescoberta dos fatos que aconteceram na noite em que sua família foi brutalmente assassinada.

A história vai sendo contada alternadamente entre a busca de Libby no presente e os fatos dos dias que sucederam o crime pelo ponto de vista da mãe e do irmão de Libby no passado. O livro é eletrizante, magnético e você não consegue largar até o fim. Aliás, o final, como em todos os livros da Flynn, é incrível. Leiam agora!

Ah! Tem filme também, com a maravilhosa da Charlize Theron inclusive, mas ainda não assisti e farei a Glória Pires: não sou capaz de opinar!



O Livro de Maio é o Admirável Mundo Novo do Aldous Huxley. Ainda na metade mas já amando. Dia desses venho contar o que achei.

O que vocês andam lendo? Já leram algum desses? Gostaram?



9 de maio de 2016

Vamos falar sobre séries?

Começa mais um espisódio de "Nay roubando memes de blogs alheios sem ser indicada".
Mas eu sou esse tipo de pessoa que é amiga platônica de blogueira que nem sabe que eu existo.. Meu jeitinho.

Catei do blog Starships and Queens que eu amo (e vou protegê-lo).

Sem mais delongas, vamos então falar dessas coisas maravilhosas que fazem nossos dias muito melhores e muito menos produtivos.

1) Qual a sua série favorita de todos os tempos?

Breaking Bad

Essa série foi estranha na minha vida. Meu marido que assistia e ele falou que eu PRECISAVA assistir que era muito boa e tal. Comecei mas não consegui avançar... ficava com preguiça... me dava sono... Insira aqui muitos meses se passando e paramos no momento que eu recomecei a série e assisti as 5 temporadas loucamente completamente viciada. Vai entender. É a vida e as vezes é uma questão de timing.

Para quem não conhece a história (alguém?) tem esse professor de química , o Walter White, que descobre que está com Câncer e a mulher tá grávida e não tem dinheiro e pode morrer e deixar a família desamparada. Daí que ele resolve produzir, junto com um ex-aluno, metanfetamina para vender e conseguir grana suficiente para deixar para a família se sustentar quando ele bater as botas. Mas aí a historia evolui e vira um bololô tão grande que todo episódio é um puta que pariu diferente.  A série já acabou e, diga-se de passagem, acabou perfeita e, pra mim, sem nenhuma ponta solta, que é parte do que me faz achar a série incrível. Soma-se a isso uma trama impecável e personagens perfeitos, profundos, enfim, é PERFEITA

.
2) Qual é o seu personagem favorito de todos os tempos?



Difícil escolha, mas vou ser coerente e escolher um da série que indiquei como a favorita: WALTER WHITE.  Eu odeio amar WW, porque ele vai mudando muito ao longo de toda a série e você se pega torcendo para que as piores merdas dele deem certo e fica arranjando justificativas para as piores atrocidades que ele comete. Assim como todos os personagens de BB, WW é complexo, cheio de nuances e ainda por cima representado por um ator que, pelo amor de Deus, é tão bom e incorporou tanto o personagem que é difícil demais não acreditar naquilo tudo. 

3) Cite uma série em que você viciou.

Modern Family

Eu comecei essa série meio despretensiosa porque tava lá no netflix disponível e quando eu vi já tinha assistido uma temporada inteira ser perceber. Os episódios são curtinhos, de aproximadamente 20 minutos e os personagens são muito engraçados. Acho que não tem um episódio que não me faça dar pelo menos uma gargalhada. OK, tem um esteriótipos meio duvidosos mas em linhas gerais é de uma leveza gostosa que às vezes a gente precisa para espairecer.

Cam <3

4) Cite uma série que todo mundo gostou (ou gosta) e você não.

Game of Thrones

Só uma palavra: BOOOOOORING. Eu já tentei. Mais de uma vez inclusive pra ver se eu tinha assunto com o mundo porque só falam nisso. Mas não deu pra mim. Muito chata, muito arrastada, just don't.

5) Cite um personagem com o qual você tem muito em comum.

Lorelai Gilmore

Como não amar as garotas Gilmore não é mesmo? Não entrou como minha série preferida, mas poderia tranquilamente figurar no primeiro lugar do meu coração junto com BB. E Lorelai... essa pessoa irônica, engraçada mas com humor negro, cheia de referências e piadas internas que ninguém entende, problemática, sentimentalmente confusa, com medo de decisões permanentes, carinhosa, amiga... na real sinto que Lorelai Gilmore moldou não só o caráter de Rory, mas o meu também.
 
PS: Acabei de assistir novamente em maratona as 7 temporadas do seriado e tô meio envolvida demais com tudo. Vou fazer post sobre, eu prometo. Ou não.




6) Cite uma série pouco conhecida que você gosta.

Community

Quase não vejo as pessoas falando dessa série maravilhosa e que eu mal sei descrever de tão surreal. Um grupo de amigos numa faculdade comunitária americana. Um grupo super heterogêneo que só está alí porque deu muito errado na vida de diferentes formas. Parece clichê. E é. Mas é justamente essa a grande sacada da série. Ela meio que zoa de si mesma o tempo todo, além de ter episódios épicos como o que a universidade inteira vira uma grande arena de disputa de paintball. Olha eu não sei se estou realmente conseguindo me expressar aqui, mas é que Community é tão peculiar, tão maluca que só assistindo mesmo. Tem comédia, tem uns dramas, personagens maravilhosos e tem o chinês de "se beber não case" como professor de espanhol. Sinto que essa resenha tá ficando ainda mais esquisita a cada frase.




7) Qual sua série favorita dos últimos tempos?

House of Cards

Para quem não conhece a série trata dos bastidores da política norte-americana centrada na pessoa do grandissíssimo filho da puta Frank Underwood e sua não menos maquiavélica esposa Claire Underwood. Eles fazem de tudo para alçar voos bem altos dentro do cenário político, de tudo MESMO. E o pior é: você se pega torcendo para que os planos deles deem certo. É meio assustador. A série é uma reviravolta a cada episódio. A quarta temporada foi lançada a pouco tempo e já está devidamente maratonada. E as unhas devidamente roídas agora na espera da próxima que sabe Deus quando vai sair.



8) Cite um protagonista que você não gosta, mas curte a série.

Rick – The Walking Dead

Na verdade curtia, porque enchi o saco da série também e parei de assistir na terceira temporada. Mas o Rick sempre foi um personagem que nunca me desceu. Puta cara mala.  Aquele filho dele então, SANTO PAI, perdi a conta de quantas vezes torci pra algum zumbi comer aquela criança.

9) Qual personagem você gostaria de ser?

Posso repetir? Então toma mais Lorelai Gilmore! Uma pessoa independente, livre, fiel aos próprios sentimentos que trabalhou muito para conseguir as coisas na vida e recusou todos os rótulos que poderiam querer lhe impor... 



10) Qual série você indica pra todo mundo?

Acho que isso depende muito da pessoa e eu sempre fico muito nervosa sobre se a pessoa realmente vai gostar ou vai achar uma bosta. Mas quando eu gosto de uma série mesmo eu encho o saco de todo mundo pra assistir, principalmente se for menos conhecida, pra ter alguém pra conversar sobre. Meu egoísmo grita.

Ultimamente tenho indicado muito Jessica Jones. Porque é uma série maravilhosa, com uma protagonista maravilhosa que vem dos quadrinhos. O arco da primeira temporada é perfeito, tem o David Tennant e o Luke Cage (insira suspiros aqui). A história se passa em Hell's Kitchen que é o mesmo cenário do Demolidor. Já foi confirmada pelo Netflix uma nova temporada, mas ainda sem datas.

E vocês o que andam assistindo de séries? Assistem essas que citei?? 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...